I Am Alive - Preview do lendário jogo pós-apocalíptico da Ubisoft

Se o fim do mundo for como os games contam, então vai ser legal.

Com a imunidade à infecção de Left 4 Dead, os espertos Scavengers de Fallout, e o armamento pesado de todo o resto, nós teremos todo um mundo de liberdade bandida para aproveitar por um tempo e a sociedade estará de pé na próxima terça-feira.

Bem... Isso se não existisse I Am Alive e seu pós-apocalipse pendendo para o lado mais realista. Cidades serão deprimentes pilhas de escombros; não haverá comida ou água, muito menos munição.


I Am Alive é a antítese de jogos de fantasia pós-apocalíptica envolvendo poder. "É definitivamente o oposto disso," declarou a Ubisoft. "Pós-desastres (em jogos), na maior parte, não é realista, e I Am Alive é realista. Acredito que é diferente de todos os jogos que já vimos: é mais maduro; tudo é real."

O jogo eleva o cenário e atmosfera a partir de filmes ao invés de outros jogos: a adaptação cinematográfica A Estrada, com uma pitada de O Livro de Eli. "Nós estamos bem mais próximos de inspirações de filmes do que referências de videogames. Nenhum jogo fez isso antes."


O protagonista tem menos de um exército de um homem só e mais do pai acuado de A Estrada. Antes da série de terremotos cataclísmicos que leva o mundo o mais próximo de um fim, ele nunca havia disparado uma arma. Agora, depois de uma longa caminhada através do país por um ano, ele volta à sua cidade natal, procurando por sua namorada e sua filha, carregando apenas uma pistola com uma bala e um cinto de escalada.

A cidade é uma miragem de cinzas: um horizonte saturado, nuvens de poeira, e quarteirões transformados em destroços sombrios. Assim que o jogo começa, nosso herói encara a travessia de uma ponte destruída, seguido de um tutorial de escalada. Seu único talento pré-apocalíptico é a escalada, e até o faz muito bem, mas não de maneira expert e inumana como Nathan Drake. Turnos de escalada têm um tempo limitado por uma barra de resistência que drena enquanto você se pendura ou sobe. Adiante, você obtém mais engenhocas de alpinismo: um gancho e pítons para criar pontos de descanso temporário na longa subida até o topo de um arranha-céu.


A sensação de manobrar ao longo de vigas quebradas até as sustentações da ponte não é tão escorregadio quanto, digamos, Uncharted. Nosso homem é cauteloso, escalador de pé firme - você não vai ser descuidado ao direcioná-lo pelas bordas de um prédio ou saltará em vão em um espaço aberto. O medidor de resistência torna as escaladas curtas e tensas; quando está quase vazio, você pode "martelar" o analógico direito repetidamente (o que seria o mesmo que um esforço excessivo), mas isso vai trazer danos a sua resistência de forma mais permanente, e mais tarde você terá que restaurar o vigor perdido com itens alimentares.

Segurando o analógico direito (na versão do Xbox 360) o fará caminhar, enquanto bater no botão o fará correr, com as corridas também limitadas pela barra de resistência. O resultado é um personagem que facilmente fica sem fôlego, o que pode frustrar jogadores que preferem controlar um super-herói, mas que é consistente como a idéia de um homem comum em meio a um cenário pós-desastre.


Lutas, assim como escaladas, são curtas e tensas. O protagonista é vulnerável e até mesmo fraco; sem balas, você tem que seguir seu caminho e blefar em confrontos com sobreviventes violentos.Você pode manter sobreviventes desarmados na mira de sua pistola (quando a arma é ativada, a visão de terceira pessoa passa para primeira), ou se render e deixá-los se aproximar o suficiente para tentar a "morte surpresa" com seu facão, executada com um botão. Quando você banca o corajoso em posse de apenas uma bala, deve fazê-lo estrategicamente: procure pelo membro dominante da gangue, leve-o pra fora, e os outros irão recuar.

Em certo momento, você terá em sua posse um arco e flecha. Embora a habilidade do protagonista em disparar flechas em homens protegidos por resistentes coletes, tendo apenas a cabeça vulnerável, ser precária, pelo menos permite recuperar a flecha do crânio perfurado da vítima.


Mantendo o papo sobre I Am Alive assumir o realismo sombrio de A Estrada, há coisas sinistras nas ruas da cidade. Logo no início, vemos uma multidão selvagem perseguindo uma jovem em meio a névoa. Nos esgotos, existem alguns sobreviventes apavorados trancados por canibais (você pode sacrificar sua única bala para estourar a fechadura ou você pode deixá-los lá). O cavernoso espaço abaixo de um monotrilho está cheio de cadáveres. Mais tarde, você encontra uma gangue tentando arrastar uma menina, Mei, para fora de seu esconderijo; em seguida, uma parte do jogo é gasta protegendo Mei - dando-lhe uma carona nas costas enquanto luta e escala.

I Am Alive tem 10 níveis através da qual você poderá explorar as ruínas da cidade, escalar, adentrar cavernas urbanas, e lidar com outros sobreviventes. Não é um mundo aberto, embora os níveis não sejam totalmente lineares. O mapa é marcado com rabiscos vermelhos a medida que encontra obstáculos que restringem suas opções a um único local, mas há algumas áreas fora do caminho em que você poderá encontrar sobreviventes que podem conceder uma luz, aproximando-o de encontrar sua família. Embora a Ubisoft tenha dito que o jogo não seja concluído em muitas horas, disseram também que é mais longo do que muitos outros atualmente no mercado.


Checkpoints são quase tão escassos quanto balas (após você gastar pouco do que tem, você precisa recomeçar o nível), e também o são os Kits de Primeiros Socorros; em um ponto, você poderá falhar ao tentar salvar o filho ferido de uma mulher, pois precisará usar em si mesmo o único Kit que encontrou durante uma hora de jogo. Um momento agradável de angustiante impotência.




Após uma longa espera, finalmente sabemos que I Am Alive é real. Nada de fartura de munição, saltos acrobáticos dignos de uma Daiane dos Santos versão ciborgue, ou monstros mutantes querendo te devorar. Os inimigos aqui são pessoas como você, reais. Desconhecidos, vizinhos, amigos. O prêmio é água, comida. Sobreviver. Vale a pena lutar pela vida em um mundo de realidade tão caótica?

Descubra em I Am Alive, logo disponível para download para PS3 e Xbox 360. Quando? Mais perto do que estava quando o primeiro trailer saiu.

Confira o video preview abaixo, e um gameplay que deixa qualquer gamer ávido por tê-lo em mãos o mais rápido possível.


Nota: esse artigo foi traduzido do site GameSpot, que teve acesso exclusivo ao jogo.

0 mordidas:

Postar um comentário