Biografia - Conheça um pouco do escritor torturador

Tiago Toy nasceu no dia 30 de agosto em Jaboticabal, interior de São Paulo. Tem apenas um irmão mais novo. Seu pai trabalhou a vida toda – e continua no ramo - como caminhoneiro enquanto a mãe, carioca radicada em Jaboticabal desde os 11 anos, ficava em casa cuidando dos filhos.


Desde criança sempre foi muito tímido. Aos quinze anos, um problema familiar aflorou um lado seu que ninguém conhecia: a agressividade. Na escola era ótimo aluno, sempre com notas boas, porém não se sentia confortável em fazer amizades. Tinha muita dificuldade em esportes; em artes, pelo contrário, era o melhor, tanto que cobrava alguns trocados para fazer os trabalhos artísticos dos colegas mais preguiçosos. E era na segurança do lar que perdia o controle e xingava a todos que apareciam, preferindo ficar trancado em seu quarto do que cumprimentar as visitas. Diversas vezes saiu nos socos e pontapés com primos, amigos e o irmão. Os únicos que o acalmavam eram os animais, e teve vários. Sua mãe evitava arrumar bichos de estimação por ver seu sofrimento quando morriam. Via nos animais os amigos que nunca teria como humanos.

Bem pequeno conheceu os filmes de terror que sua mãe gritava para que não assistisse, o que não o impedia de assisti-los com o som da TV bem baixo – para depois ir deitar morrendo de medo. Até que aguentava bem O Brinquedo Assassino, O Mestre dos Brinquedos e A Noite dos Mortos-Vivos, mas o que dava medo mesmo era Sexta-Feira 13. Acreditava piamente que Jason estava do lado de fora da janela o observando.

Na escola, começou a escrever pequenos contos a pedido de uma professora de Português. Sempre pendia para um lado mais obscuro da literatura. Quando os professores mandavam que os alunos lessem clássicos nacionais, Tiago aproveitava os recreios para fuçar pelas prateleiras empoeiradas da biblioteca – muitas vezes ignorando o sinal e perdendo a hora da aula. Títulos como O Iluminado ou A Hora do Vampiro deixavam seus olhos arregalados, ansiosos por devorar cada página. Nunca conseguiu pegar nenhum desses, pois estranhamente nunca conseguia encontrá-los.

A fim de acabar com o temperamento agressivo de Tiago, sua mãe o levou à igreja, onde passou a fazer parte de um grupo de jovens. Lá, tomou gosto pelo canto e teatro. No grupo de teatro, apresentou-se em igrejas, escolas e várias cidades nos arredores de sua cidade. Na peça, interpretava um filho malcriado e violento, em uma família cheia de problemas. Entretanto, após alguns meses de dedicação à interpretação e à música, Tiago desistiu do grupo, com a desculpa de que frequentar a igreja causava sérias dores de cabeça, dores essas que permanecem até hoje, e Tiago não se lembra da última vez em que esteve em uma igreja, embora tenha sido devidamente batizado, feito Catecismo e 1ª Comunhão.

Na época do Catecismo
Foi na época escolar que começou a firmar seu gosto pelo terror, fosse no cinema, literatura ou games. Conheceu o jogo Resident Evil, e foi amor à primeira vista. Não somente pelo jogo, mas pelos zumbis. Escreveu o roteiro de um filme, influenciado por sua paixão pela trilogia Pânico, de Wes Craven, chamado "Presente de Natal". Na estória, um serial killer vestido de Papai Noel (!) matava o elenco de um filme que estaria sendo rodado em uma cidade qualquer, e todos que se envolvessem nele. Tiago até conseguiu interessados em atuar, mas ninguém queria cooperar financeiramente, levando ao engavetamento do projeto. Houve até uma tentativa de transformar o roteiro em HQ, o que nunca saiu do papel.


Capa da HQ "Presente de Natal"
Três vezes começou a ter aulas de desenho, querendo aproveitar melhor as tardes inteiras que já passava desenhando. E nas três vezes desistiu. Odiava ter que fazer o que mandavam. Se queria desenhar algo, o faria. Caso contrário, não saia nem um bonequinho palito.


Confira alguns desenhos:

Britney Spears, uma grande paixão
Capa do filme Pânico 3
Wolverine
Ricku, caricatura para um amigo
Página da HQ "Soripmavaçac"

Muito tempo depois, no último ano letivo, decidiu por vontade própria ingressar em um grupo de teatro, com o intuito de vencer a timidez. Seu primeiro personagem foi um palhaço “preto e branco”, que brincava com humor negro e vestia a máscara do Ghostface. Apresentou-se em um circo e em praças ao ar livre.
Pelos próximos cinco anos, fez parte de uma peça chamada Lembranças de Outra Vida, onde interpretava Juan Pablo ‘Can-Can’, o mais inexperiente de um trio de sequestradores. Apresentou-se em diversas cidades no interior paulista, e ganhou um prêmio de Melhor Coreografia.

Como sempre fora um aluno exemplar, chamou atenção de uma coordenadora da escola devido às baixas escolares. Em uma reunião da coordenadora com sua mãe, Tiago foi encaminhado a uma psicóloga. Depois de muitas sessões, foi “diagnosticado” com SPP (Síndrome de Peter Pan). Como não ia até o fim de nada, desistiu também do tratamento e terminou os estudos, que por toda sua vida haviam sido exemplares, com muito esforço, precisando frequentar aulas de reforço para não reprovar. Conseguiu.

No fim da adolescência, decidiu investir na música. Participou do reality musical Popstars, do SBT, onde teve que rasgar o RG a mordidas na fila do sambódromo para que não descobrissem que tinha 17 anos (apenas maiores de 18 poderiam participar). Alguns anos depois, participou de outro reality musical, High School Musical – A Seleção, do Disney Channel. Estava perdido na vida, indo para várias direções, mas estava se divertindo.

Turma responsável pelo apelido "Toy"
Placa de identificação no HSM - A Seleção
Quando completou 18 anos, se sentiu dono do mundo e partiu pela primeira vez de Jaboticabal. O primeiro destino foi São Paulo, onde morou por 4 meses entre idas e voltas à sua cidade natal. Nessa época, investia as fichas na carreira de modelo. Acreditava tanto que conseguiria que não percebia as trambicagens das agências, interessadas apenas em seu dinheiro fácil.


Primeiro Book
Deixando São Paulo de lado (por um tempo), foi para o Rio de Janeiro, o que considera a pior fase de sua vida. Passou fome, chegou a pesar 59kg (hoje tem 85kg), estava mais perdido do que cego em tiroteio. Conseguiu trabalhar como figurante na Globo, mas foi rápido. Sem possibilidade de se manter por mais tempo em terras cariocas, optou por continuar vivo e voltou à Jaboticabal. Decidiu fazer um pit-stop e ficar por lá mesmo até saber mais ou menos para onde queria (e deveria) ir.

Toy de preto, ao fundo.
Permaneceu em Jaboticabal por 2 anos, onde aproveitou para fazer um curso de Bartender durante um ano. Acreditava que, podendo trabalhar em bares, teria facilidade em conseguir emprego quando voltasse a São Paulo. Com muito esforço, concluiu o curso, e nunca preparou uma caipirinha após receber o diploma.
Em agosto de 2008, após passar por uma fase bem conturbada e sem perspectivas, precisava se distrair, esquecer os problemas. Foi quando nasceu Terra Morta.


Inicialmente publicada no Recanto das Letras, Terra Morta foi bem aceita pelos leitores virtuais. Tiago, percebendo que precisava de um espaço maior, onde pudesse deixar com a cara de sua história, migrou para o Blogspot, e lá ficou até meados de 2012. Era algo despretensioso, um hobby, que serviu bem para seu propósito.

Decidido a não ficar mais tempo escondido no interior, vendeu sua bicicleta, encheu uma mochila do exército de miojos e partiu novamente para São Paulo, chegando na capital em 8 de janeiro de 2009. “Dessa vez eu vou e não volto”, disse aos pais que o apoiavam em tudo, embora céticos quanto à promessa, lembrando das idas e vindas anteriores.

Na capital, procurou por emprego durante longos 3 meses, enquanto pulava de pensão. A incapacidade (ou escolha) em firmar em um caminho impossibilitou qualquer tipo de especialização, o que facilitaria encontrar um bom emprego. Alguém que desenhava, escrevia, cantava, atuava e não parava em lugar nenhum dificilmente conseguiria se formar. Pode ser que na época da escola fosse um dos melhores alunos, mas após sentir o gostinho da liberdade, se dedicar a uma única coisa, em um só lugar, não era mais tarefa fácil.
Aguentou esse tempo graças ao dinheiro que os pais mandavam e a ajuda de alguns amigos. Sem escolha, começou a trabalhar em uma empresa de telemarketing, e lá ficou por 2 anos. Apesar de não ser o que esperava, se esforçou e foi promovido quatro vezes, passando pelos setores financeiro e jurídico. Em seguida, entrou em um bar de vinhos, onde trabalha até hoje.


Nesse meio tempo, enquanto trabalhava em telemarketing, viver em uma pensão horrível, depois em uma república com mais de vinte pessoas (onde a farra durava o dia inteiro, e bagunça é algo que não agrada Tiago).  Algum tempo depois, foi parar em um quarto minúsculo – o qual chama “carinhosamente” de quartinho do Harry Potter – em uma pensão japonesa, no bairro da Liberdade. O quarto era realmente minúsculo, do tamanho de uma cama que Tiago mal cabia. As visitas das baratinhas eram constantes. Os vizinhos de quarto (os quartos separados por divisórias) eram todos idosos, e um deles, bem velhinho, tinha problemas de saúde, quase sempre fazendo as necessidades na roupa, levando consigo aquele cheirinho “agradável”.

Nos primeiros meses de trabalho, Tiago tinha que caminhar durante uma hora até o trabalho e dependia do Vale-Refeição miserável para poder comer. Era uma escolha dura: almoçava ou jantava. Nunca os dois. Por algum tempo, Tiago ganhava marmitas da chefe Roberta Andreatti (seu anjo da guarda) e de alguns amigos. Quando não, escolhia comer um cachorro-quente no almoço e dormia o resto do dia para não sentir a fome.

Como não tinha dinheiro nem pra comer, acessar internet era um luxo raro, o que comprometeu a continuidade de Terra Morta. Os capítulos eram postados de 3 em 3 meses, isso se conseguisse. Para isso, Tiago utilizava a senha de acesso de uma colega e frequentava o laboratório de informática de uma faculdade (melhor não citar nomes).

Felizmente, por acaso, sorte, destino ou o que quer que seja, Tiago criou o Twitter de Terra Morta, idéia de um leitor, e quinze dias depois, em 24 de fevereiro de 2010, recebeu o convite do editor da Draco, Erick Sama, a lançar Terra Morta como livro.

Sem pensar duas vezes, aceitou; porém, terminar o livro no tempo combinado seria impossível. A mãe, muito feliz com a notícia, junto com a avó de Tiago, e mesmo sem condições para tanto, comprou um notebook especialmente para o cumprimento do prazo.

Sem muito foco na vida, ainda um tanto perdido, passou a frequentar bares noturnos e boates. Enchia a cara antes mesmo de entrar nos lugares, e passava as noites dançando e fazendo outras coisas que não vem ao caso mencionar.

Em uma visita à família, fez alguns exames de sangue e descobriu que tinha uma doença infecciosa, sem cura. Ficou um tanto abalado e evitava se relacionar com outras pessoas, mas a vida continuava. Calma, pessoal! Não foi só isso. Um ano depois, em outra visita, fez novos exames e qual não foi sua surpresa ao constatar que não tinha doença alguma. Questionando à médica, ela disse que ele nunca teve nada. O que o médico anterior havia dito (e Tiago entendera errado) era que ele tinha imunidade natural contra a tal doença. Menos mal.

Felizmente, em janeiro de 2010, conheceu a pessoa com quem está até hoje, e sua vida começou a melhorar. Deixou as farras perigosas de lado, mudou-se para um apartamento e hoje vive bem, sem passar mais fome. Na verdade, há dias em que come até demais.

Conheceu Leonard Akira, um dos maiores incentivadores do Le Parkour no Brasil, com quem treinou por alguns meses, continuando os treinos básicos do interior.


Estabilizado, começou o processo de revisão de Terra Morta, visando transformar o hobby do blog em algo profissional e digno de estreia como autor de literatura fantástica. Conheceu Eric Novello - roteirista, tradutor, escritor e copidesque -, alguém que se tornou um grande amigo, ainda que virtual. Após muitas discussões quanto a mudanças necessárias no texto, e a cabeça dura de Tiago não ajudando em nada por um bom tempo, o processou andou, durante quase 2 anos.

Entregando o arquivo final à Draco, o que restou? Esperar. Como Tiago sempre fora muito ansioso, não foi fácil aguentar até o lançamento.

No Fantasticon 2011, Tiago conheceu oficialmente Erick ‘Sama’ e Eric Novello, além de outros escritores, editores e inclusive leitores que se aproximavam perguntando se ele era o “Tiago Toy do Terra Morta” e pediam para tirar foto. Foi surreal! No mesmo evento, Tiago conheceu Rober Pinheiro, e foi convidado a escrever um conto para o livro Fragmentos do Inferno, pela editora Estronho.


Tiago começou a investir em produção de conteúdo, ingressando em agosto de 2011 como colaborador do site Nós Geeks (um dos maiores portais de notícias voltadas à cultura Pop em geral: cinema, literatura, games, HQs, eventos, tecnologia, etc) e do Boca do Inferno (maior e mais importante referência nacional sobre cinema fantástico e de terror).

Passou a investir também na aparência, algo que sempre fizera, mas perdera um pouco em meio às dificuldades iniciais na capital. Pegou firme na academia, não somente pela aparência, mas pela saúde. Costumava dizer que só porque era escritor, não precisava levar ao pé da letra, ficando o dia todo escrevendo e se empanturrando de porcarias e refrigerante. A aparência seria um ótimo cartão de visitas.

Um pouco mais bonitinho
No dia 4 de dezembro de 2011, lançou oficialmente Terra Morta: Fuga, o primeiro de uma trilogia, na livraria Martins Fontes, Av. Paulista. Contou com a presença de sua mãe, que veio do interior especialmente para assistir o sucesso do filho, de leitores que conhecera ao longo de 3 anos de Terra Morta, e muitos outros convidados. Foi sua primeira tarde de autógrafos. Para “camuflar” o nervosismo, Tiago adotou o óculos escuro, o que virou marca registrada.



Atualmente, Tiago Toy trabalha na revisão de Terra Morta: Infecção, no roteiro de um spinoff em formato de HQ e na seleção de textos para uma coletânea (enviados por leitores e autores convidados), ambos baseados no universo de Terra Morta.

Tiago vive em São Paulo, não é solteiro, e evita sair em público, por não se sentir confortável. Passa a maior parte do tempo possível em casa, escrevendo, lendo, jogando games ou assistindo filmes e séries.

0 mordidas:

Postar um comentário